quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Como sobreviver ao carnaval

Carnaval, bebida, festa... ah, o carnaval. Bom, sejamos honestos: carnaval, assim como Natal e Ano Novo, não é uma boa data pra morrer. Além de acabar com a sua festa, vai acabar com a festa de mais um monte de gente.

Pra quem vai passar na cidade, já não é tão perigoso, afinal, bombeiros estarão lá para qualquer eventualidade. Às vezes, eles demoram um pouco e eu sei do que estou falando, porque uma vez desmaiei no meio da rua e eles não chegaram tão rápido. O disk-pizza teria sido mais eficiente. Mas enfim, se os bombeiros não chegarem prontamente, vai ter um monte de gente lá pra te socorrer. Isso é fato.

Como eu não vou passar o carnaval na cidade, mas sim, isolada do mundo com um bando de loucos num lugar onde não se pega celular, achei melhor elaborar um manual de sobrevivência ao carnaval. Como eu não tenho planos de comprar um desfibrilador, gostaria que todos lessem com muita atenção.

1) Bebida e água não combinam – tem quem diga que quando se bebe, a gente fica rico e mais uma vez eu sou prova viva disso, já que consegui pagar cerveja prum monte de gente, muitas que eu nunca tinha visto na vida, numa quinta-feira. Deixei todo mundo bêbado e meu bolso vazio. Mas sempre tem aquele que fica corajoso: ‘Ah, foda-se se eu não sei nadar!’

2) Bebida e trilhas no mato não combinam – trilhas normalmente não são legais. Sei lá, elas são perigosas e existem animais selvagens lá. Você pode escorregar, bater com a cabeça e morrer. Ou sofrer um ataque de aranhas selvagens e sedentas por sangue.

3) Bebida e remédios não combinam – mais uma vez, experiência própria. Se você quer ficar realmente muito bêbado, tome um antiepilético e uma caipirinha. Você vai acordar com hematomas que você não sabe de onde veio e vai achar que rolou de uma escada quando, na verdade, estava brincando de pinball com seu próprio corpo.

4) Bebida e desconhecidos não combinam – já ouviu falar no ‘boa noite Cinderela’? Então, acho que não preciso falar mais nada. Se você nunca ouviu falar, procura no Google que eu tou com preguiça de explicar.

5) Bebida e cochilos não combinam – Ta com vontade de vomitar? Sente que bebeu demais? Vomite, põe pra fora. Deitar, nesse caso, só vai piorar as coisas. Além de ser perigoso, porque você pode vomitar dormindo e morrer afogado no seu próprio vômito. É perigoso e nojento, diga-se de passagem. Crianças de até 6 meses morrem afogadas no vômito e ninguém vai lembrar de colocar um travesseiro nas suas costas para você dormir de lado. Afinal, você não é mais uma criança de 6 meses.

6) Drogas e qualquer coisa não combinam – quer pirar? Ficar louco? Faça isso na segurança do seu lar. Não invente de tomar ácido no carnaval. Eu sei de histórias bem bizarras envolvendo ácido, bala, maconha. Você, com certeza, não quer acordar com 7 desconhecidos do seu lado, quer? Ah, isso não foi experiência própria.

Como podemos ver, bebidas e drogas não são legais quando não usadas com moderação. No caso das drogas, nem com moderação elas são seguras.

Pronto, temos um manual simples de sobrevivência ao carnaval. Dicas simples e bem óbvias que podem salvar a sua vida e o seu carnaval.
Lembre-se: você pode quebrar uma perna, deslocar a clavícula, arrancar uma unha. Não tem problema. Possivelmente, você vai ser chacota da turma até o próximo carnaval, quando acontecer algo pior. Mas morrer não é legal. Curta o carnaval em segurança e tenha uma morte consciente. Pode ser na quaresma, mas datas comemorativas não são legais. Não seja egoísta de acabar com a festa de todo mundo.

2 comentários:

anarockz disse...

um 'adendo'...
crianças de mais de vinte anos tbm morrem no próprio vomito :P

Lipe B. Goode disse...

inda bem q a história de acordar com 7 desconhecidos do seu lado não é experiência própria hauahauhauh