segunda-feira, 20 de abril de 2009

Desabafo

Esse post não é divertido, não comenta notícias bizarras. Esse blog é meu, tenho um login e uma senha, me sinto no direito de escrever sobre o que eu quiser.

Ao contrário de você, não consigo não esperar nada de ninguém. Não consigo sorrir e não esperar nada de volta, mesmo que seja forçado. Não sei, desculpa. Minha intensidade sempre foi característica, quando penso que vale a pena, me entrego, me jogo de cabeça. Normalmente, estou errada, e desta vez não foi diferente.

Te segurei pelos ombros, te injetei realidade, fui dura, mas se faço isso é porque te amo e não quero te ver sofrendo. Mas tudo que recebi de volta, foi indiferença, como sempre. Onde estava você quando eu precisei? Quando chorei? E quando precisei da minha injeção de realismo? Onde? Eu posso responder isso, afinal, te conheço como ninguém: se entregando às fantasias, usando as mesmas máscaras. Porém, quando você as tirava e era comigo a menina que eu conheci e amei, eu te acalentava, enxugava tuas lágrimas.

Não sei dizer onde errei. Talvez, tenha sido em ter te amado tanto. Amor de irmã, aquele que fala o que precisa ser dito, não o que você quer ouvir. Eu decifrava teu rosto, teu olhar e te entendia no silêncio. Isso você não pode negar. Éramos metades. Inconfundíveis. A junção perfeita da emoção com a razão. Mas a razão também sofre.

Quando digo que cansei, digo com todo o realismo e frieza que eu usava pra te falar as coisas, apontar erros. É com a frieza da razão. Não consigo mais te ver se entregando às falsas coisas, promessas. Eu gostava de você rindo ou chorando. Mas sempre aquela menina que eu segurei a mão e disse que seguiria em frente junto. Eu gostava da sua emoção exarcebada, dos exageros, ria das suas bobagens e gostava de dizer que sim, isso também ia passar.

Hoje você vive com as máscaras, só que agora, quando você tirá-las, eu não segurarei mais. Amizade é uma via de mão dupla, não existe entrega de uma só parte. E agora posso dizer: eu preferia quando você chorava.

2 comentários:

Val disse...

Estranho Tuany este post!!!
Ontem me decepcionei muito com uma amiga que amava e hoje leio o teu texto. Sabe acho que é muito difícil para certas pessoas serem sinceras e lidar com a nossa forma de ser e autenticidade.
Bjo

Aline disse...

Achei maravilhoso seu texto! Afinal só quem tem sangue de barata não concorda com vc!